Em Memória de Christiano Lima

Compartilhar

Psicólogo Colaborou em Projetos Para a Sincronia

 

Da Redação

Notícias | 30 de Dezembro de 2018

 

Psicólogo de formação e cinéfilo por paixão, Christiano Lima faleceu neste domingo devido às complicações de um câncer contra o qual lutava há dez anos. Primo em primeiro grau do diretor Emanuel Mendes – fundador da Sincronia –, Chris foi um apaixonado por cinema junto de Mendes desde a infância. Passaram toda a adolescência assistindo a filmes em sessões regadas a muito debate, discussão e controvérsias eufóricas e inflamadas – e ele foi, segundo Emanuel, a pessoa que despertou neste último o gosto pelo cinema mais elaborado, sofisticado, diferente daquele feito em Hollywood, com suas fórmulas prontas e conceitos já pré-estabelecidos. Juntos, descobriram Fellini, Kurosawa, Bergman, Truffaut, o cinema brasileiro dos anos 1960, 70 e 80, década onde cresceram e viveram o período mais fértil de suas formações em cinefilia. Era a época das videolocadoras, e, como muitos desta geração, viraram frequentadores destes lugares e foram aos poucos cristalizando seus gostos e inclinações.

 

Nascido em Araguari, interior de Minas Gerais, Chris Lima pensou em estudar medicina antes de perceber que sua verdadeira vocação eram os ensinamentos da psicologia e os mistérios da alma humana que esta profissão tanto gosta de desvendar. Chegou mesmo a ingressar na Faculdade para se tornar médico, mas a abandonou no meio do curso quando resolveu ir para a outra vertente desta ciência. Não à toa, seu escritório era repleto de livros e mais livros sobre o assunto – razão pela qual ele se debruçaria cada vez mais no estudo da mente e nas faculdades humanas para a reflexão e o entendimento. Mergulhou no assunto com uma devoção à qual poucos profissionais se dedicam, e por conta disso, foi chamado, anos depois, para administrar e cuidar de centros psiquiátricos, de ensino (em aulas apaixonadas sobre os tópicos da psicologia e psiquiatria), dando cursos e palestras. Não demorou muito para virar referência no interior do Brasil e mentor de um sem-número de jovens estudantes e profissionais da área. 

 

E junto de Emanuel, escreveu o roteiro do curta-metragem Assis & Aletéia (2022), ainda em 1995, que seria o primeiro trabalho profissional do fundador da Sincronia, e roteirizado no auge do exercício cinéfilo dos dois jovens – eles escreveram o trabalho inspirado pela paixão de ambos por Luis Buñuel e o surrealismo, o movimento estético e de vanguarda que tanto encantava a ambos. Mais tarde, Chris Lima também ajudou o primo no roteiro de O Homem Que… (2011), outro curta que seria o estopim para a fundação da produtora, e que fala sobre alienação e loucura. Além disso, colaborou com pitadas e temperos para a webssérie Os Chorões (2012), em alguns dos episódios versando sobre manias, vícios e críticas a comportamento e sociedade.

 

Prova mais irrefutável de que intelectuais podem e devem se aventurar também pelas artes, Christiano Lima deixa um legado em duas áreas – curiosamente, em dois meios que conversam e aprofundam sobre a alma humana e suas incógnitas.

 

_____